Programa de Pós-Graduação em Administração

Parceiros

Notícias

Cultura Política Brasileira

Disciplina – Cultura Política Brasileira

Mestrado Profissional em Administração

Carga Horária – 45h

 

EMENTA

 

A relação histórica entre Estado e sociedade civil no Brasil; a formação do pensamento político brasileiro; a tensão entre hierarquia e igualdade na relação entre Estado e indivíduos; a formação sociocultural brasileira; a análise do homem cordial brasileiro e suas implicações na relação com o Estado e a sociedade; o passado escravocrata e sua relação com a consolidação de um Estado patrimonialista; breve discussão acerca da democracia racial; clientelismo e a introdução do modelo burocrático de gestão do Estado; cidadania ativa e as transformações da sociedade brasileira; os movimentos sociais em diferentes períodos (ênfase ditadura/ democracia) e sua importância.

 

Bibliografia:

OLIVEIRA VIANNA, F. J. de. Populações meridionais do Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra/Governo do Estado do Rio de Janeiro/UFF, 1973. Volume 1.

HOLANDA, S. B. de. Raízes do Brasil. São Paulo, Companhia das Letras, 1995.

PRADO JÚNIOR, C. Evolução política do Brasil. São Paulo, Brasilense, 1987.

DUARTE, N. A ordem privada e a organização política nacional. 2a edição. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1966.

LEAL, V. N. Coronelismo, enxada e voto: o município e o sistema representativo no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1997.

PEREIRA DE QUEIROZ, M. I. O mandonismo local na vida política brasileira e outros ensaios. São Paulo, Ed. Alfa-Omega, 1976.

FERNANDES, F. A Revolução Burguesa no Brasil. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1975.

FRANCO, M. S. de C. Homens livres na ordem escravocrata. São Paulo, Editora da UNESP, 1997.

ALEXANDER, J. C. “Core solidarity, ethnic outgroup, and social differentiation: a multidimensional model of inclusion in Modern Societies”. In: Dofny e Akiwowo (eds.), National and Ethnic Movements. Sage, 1980, pp. 5-28.

_____. Action and its environments: toward a New Synthesis. Columbia University Press, 1990.

ARENDT, H. “As esferas pública e privada”. In: A condição humana. Rio de Janeiro, Forense Universitária, 1993, pp. 31-88.

BOTELHO, A. O Brasil e os dias. Estado-nação, modernismo e rotina intelectual. Bauru, SP: EDUSC, 2005.

CABRAL, M. V. “O exercício da cidadania política em perspectiva história (Portugal e Brasil)”. RBCS, V. 18, N. 51. São Paulo, fev. 2003.

CARVALHO, J. M. de. Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004.

COHEN, J. & ARATO, A. Civil society and political theory. Cambridge: MIT Press, 1992.

HABERMAS, J. Mudanças estruturais na esfera pública. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1984.

IANNI, O. A idéia de Brasil moderno. São Paulo: Brasiliense, 1992.

SANTOS, W. G. dos. Décadas de espanto e uma apologia democrática. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

SKINNER, Q. As fundações do pensamento político moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

SKOCPOL, T. (Ed.). Vision and method in historical sociology. Cambrdige: Cambridge University Press, 1984.

VIANNA, L. J. W. A revolução passiva. Iberismo e amercianismo no Brasil. Rio de Janeiro: Revan, 1997

Copyright 2018 - STI - Todos os direitos reservados