Programa de Pós-Graduação em Administração

Parceiros

Notícias

Estudos Organizacionais

Disciplina – Estudos Organizacionais

Mestrado Profissional em Administração

Carga Horária – 45h

 

Caracterização dos estudos organizacionais como campo e confluências teórico-metodológicas. As influências basilares na constituição do campo de estudos organizacionais: diálogos com a economia, a sociologia, a antropologia, a psicologia e a filosofia. Paradigmas de análise organizacional: Humanismo radical, Estruturalismo radical, Funcionalismo, Interpretacionismo. Teoria crítica e estudos organizacionais.

 

Bibliografia:

 

Caldas, Miguel, “Paradigmas em estudos organizacionais: uma introdução à série”, Revista de Administração de Empresas (RAE-FGV/SP), v.45, n.1, Jan./mar.2005.

CLEGG, Stewart. Organizações Modernas. Celta: Oeiras, Portugal, 1998. (Cap. 3)

DiMaggio, P. e Powell, W., “A gaiola de ferro revisitada: isomorfismo institucional e racionalidade coletiva nos campos organizacionais”, Revista de Administração de Empresas (RAE-FGV/SP), v.45, n.2, Abr./Jun.2005.

França Filho, Genauto C., “Para um olhar epistemológico da administração: problematizando o seu objeto”, In: Santos, Reginaldo S. (org.), A administração política como campo do conhecimento, São Paulo-Salvador: Mandacaru, 2004.

HATCH, Mary Jo; CUNLIFFE, Ann L. Organization theory: modern, symbolic, and postmodern perspectives. New York: Oxford University Press, 1997.

JONES, Gareth. Organizational theory, design and change. San Francisco: Prentice Hall, 2007.

KALLINIKOS, Jannis. The social foundations of the bureaucratic order. Organization, 11 (1). pp. 13-36, 2004.

KETS DE VRIES, M. Narcisismo e Liderança: uma perspectiva de relações de objetos. Revista de Administração de Empresas (RAE) , São Paulo. 30 (3), Jul/Set 1990. p. 5-16.

MISOCZKY, Maria Ceci; ANDRADE, Jackeline Amantino de. Uma crítica à crítica domesticada nos estudos organizacionais. Revista de Administração Contemporânea (RAC), v.25, n.1, p.193-211, 2005.

Morgan, Gareth, “Paradigmas, metáforas e resolução de quebra-cabeças na teoria das organizações”, Revista de Administração de Empresas (RAE-FGV/SP), v.45, n.1, Jan./mar.2005

Ramos, G.R., “Critica da razão moderna e sua influência sobre a teoria da organização”, In: A nova ciência das organizações, Cap. 1, Rio de Janeiro-FGV, 1989.

Copyright 2018 - STI - Todos os direitos reservados