Programa de Pós-Graduação em Administração

Parceiros

Notícias

Modelos de Administração Pública

Disciplina – Modelos de Administração Pública

Mestrado Profissional em Administração

Carga Horária – 45h

 

O conceito de administração pública (administração pública como aparelho de Estado; administração pública como gestão de negócios públicos; administração pública como campo de investigação intelectual); A sociologia de Max Weber (sociologia compreensiva: aspectos epistemológicos e metodológicos; sociologia da dominação; racionalização, dominação e administração); O modelo patrimonial (origem; fundamentos; méritos, limitações e anacronismo); O modelo burocrático (origem; fundamentos; méritos, limitações, disfunções e riscos); O modelo gerencial (origem; fundamentos; méritos, limitações e riscos); O modelo societal (origem; fundamentos; méritos, limitações e desafios); Os modelos patrimonial, burocrático, gerencial e societal no Brasil (patrimonialismo, personalismo e clientelismo no Brasil; a sedimentação da burocracia nacional a partir dos anos 1930; a reforma do Estado brasileiro na década de 1990; descentralização, participação e deliberação pública pós-constituinte).

 

Bibliografia:

ABRUCIO, L. F. Os avanços e os dilemas do modelo pós-burocrático: a reforma da administração pública à luz da experiência internacional recente. In: BRESSER PEREIRA, L. C.; SPINK, P. K. (Org.). Reforma do Estado e Administração Pública Gerencial. Rio de Janeiro: FGV, 2005. P. 173-200.

CAMPANTE, R. G. O patrimonialismo em Faoro e Weber e a sociologia brasileira. Dados, Rio de Janeiro, v. 46, n. 1, p. 153-193, 2003.

COSTA, F. L. Brasil: 200 anos de Estado; 200 anos de administração pública; 200 anos de reformas. Revista de Administração Pública, v. 42, n. 5, p. 829-874, 2008.

GUERREIRO RAMOS, A. A sociologia de Max Weber (sua importância para a teoria e a prática da Administração). Revista do Serviço Público, v. 57, n. 2, p. 267-282, 2006.

MERTON, R. K. Estrutura burocrática e personalidade. In: MERTON, R. K. Sociologia: teoria e estrutura. São Paulo: Mestre Jou, 1970.

NUNES, E. A gramática política do Brasil. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.

OSBORNE, D.; GAEBLER, T. Reinventing government: how the entrepreneurial spirit is transforming the Public Sector. Reading: Addison-Wesley, 1992.

PAES DE PAULA, A. P. Por uma nova gestão pública: limites e potencialidades da experiência contemporânea. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

PINHO, J. A. G. Reforma do aparelho do Estado: limites do gerencialismo frente ao patrimonialismo. Organizações & Sociedade, v. 5, n. 12, 59-79, 1998.

TENÓRIO, F. G. Gestão social: uma perspectiva conceitual. Revista de Administração Pública, v. 32, n. 5, p. 7-23, 1998.

WALDO, D. O estudo da Administração Pública. Rio de Janeiro: Centro de Publicações Técnicas da Aliança Missão Norte-Americana de Cooperação Econômica e Técnica no Brasil (USAID), 1964.

WEBER, M. Economia e sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva. Brasília: UnB, 1999. 2 v.

WILSON, W. The study of administration. Political Science Quarterly, v. 2, n. 4, p. 197-222, June 1887.

Copyright 2018 - STI - Todos os direitos reservados